STF: datas, números e fatos

476

 Luís Edgard Cartaxo Arruda Júnior


cartaxoarrudajr@gmail.com

Memorialista


Começando com números, na Ação Penal 470 a primeira farsa da mentira foi número, não eram 39 ou 41 ou qualquer outro. Eram 40 os indiciados por crime numa alusão midiática, clara e direta ligação de centenas de anos, do bordão da clássica imagem de Ali Babá e os 40 ladrões. Se esse número, é marcante, mas significativo são datas, porque foi no dia da Proclamação da República, o feriado de 15 de novembro.


A data foi escolhida por Joaquim Barbosa para mandar de avião da FAB, num gesto milimetricamente estudado para a mídia; colocar os condenados do Mensalão num voo com destino ao presídio da Capital Federal. Juristas garantem que Joaquim Barbosa deve pagar os custos dessa viagem. Afinal, a Lei diz a principio que o condenado deve ficar no presídio perto de onde reside sua família, é o obvio.


E, para ficar patente, que isso não é mera coincidência, é precisamente no dia internacional do Trabalhador, que o Joaquim Barbosa resolve encaminhar de volta ao presídio da Papuda o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoíno Neto. E sem entrar no mérito da questão se a Ação do Mensalão foi 80% política e 20% jurídica. Certo é ela foi 100% manipulada por interesses eleitorais contrários ao PT e seu governo, isso sim.


Agora diga ai se pode? A ação contra a tramoia do PSDB em Minas Gerais aconteceu quatro anos antes da AP 470 com a ressalva contra os tucanos há argumentos irrefutáveis, denuncias explicitas, concretas de desvio de dinheiro do governo de Minas e da União, num montante maior de que a AP 470, pelo mesmo envolvido o celebre Marcos Valério. Acontece agora, poucos dias antes de se confirmar a apuração dos desvios, numa manobra jurídica estapafúrdia, volta tudo à estaca zero, vai livrar da cadeia o tucano Eduardo Azeredo etc.


Plagiando Millôr quando disse sobre o Conselho Superior de Censura: “Se é de Censura, como pode ser Superior?”; digo eu: esse Tribunal Federal pode ser chamado de Supremo?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome