MOVA-SE sedia encontro de fisioterapeutas

325

A coordenadora do CEREST-CE, Fátima Duarte, destacou a importância da parceria com o MOVA-SE neste e em outros eventos. O coordenador João Batista Silva deu boas vindas aos participantes.

“Pesquisa feita com servidores constatou que profissionais pagos para cuidar da saúde dos outros estão adoecendo por falta de tempo para cuidar da própria saúde”, alerta a fisioterapeuta Andréia Uchoa. Segundo ela, os baixos salários obriga os servidores a assumir dois ou três empregos para se manter. Aliado à falta de tempo, a sobrecarga de trabalho antecipa e agrava as lesões por esforço repetitivo típicas da enfermagem.

Além de vivenciarem situação semelhante de movimentos repetitivos e excesso de trabalho,  os agentes de saúde têm um agravante: o peso da bolsa onde levam equipamentos obrigatórios para o seu trabalho. Com isso, não escapam ainda de problemas lombares e de coluna.

Outro servidor que tem sido alvo fácil das doenças laborativas são os professores. Nestes, os membros superiores estão mais expostos ao desgaste. “A escrita no quadro e as correções repetidas todos os dias força a musculatura de pescoço, ombros, braços e munheca.

Mulheres são 79% mais atingidas que os homens por LER/DORT, segundo a mesma pesquisa. A razão pode estar na musculatura mais fragilizada agravada pela tripla jornada (trabalho, casa, estudo/trabalho).

Os resultados dos trabalhos serão utilizados na construção do Plano de Ação para a Campanha Estadual de Prevenção a LER/DORT com apresentação em plenária no encerramento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome