Governo empurra para abril o reajuste dos servidores públicos

437

Durante a primeira reunião deste ano da Mesa de Negociação Permanente (MENP), realizada na sexta-feira (22/01), os representantes de diversos sindicatos e associações foram surpreendidos pelo secretário de Planejamento e Gestão, Hugo Figueirêdo, e pelo assessor Especial de Acolhimento dos Movimentos Sociais do Estado, ao comunicarem que a definição do reajuste salarial dos servidores ficará somente para o mês de abril. A justificativa é a “crise” no país.


Como estímulo para os trabalhadores, Hugo Figueirêdo garantiu manter o salário dos servidores em dia. Anunciou ainda, a elevação da remuneração mínima dos servidores de R$ 813,51 para R$ 900,31 a partir de 1º de janeiro de 2016, com a reposição do índice de 10,67 % do IPCA de 2015, no total de R$ 86,80. A mensagem será encaminhada pelo governador Camilo Santana para apreciação e votação da Assembleia Legislativa.


Para o diretor Jurídico do Sindicato Mova-se, João Pinto, todos os servidores apresentam salários defasados desde 1999, diante disso a proposta dos trabalhadores continua fixada em 12,67%, sendo 10,67% referente ao índice do IPCA e 2% de reposição de perdas. “Nós não vamos abrir mão do reajuste, muito menos dos 12,67%. Entendemos que a elevação da remuneração mínima irá beneficiar cerca de 20 mil servidores, porém temos mais de 120 mil entre ativos, inativos e pensionistas aguardando há 16 anos o reconhecimento do seu trabalho”, afirmou.

O diretor Intersindical do Mova-se e secretário da Saúde do Trabalhador da CUT-CE, Hernesto Luz, ponderou sobre o aspecto da isonomia e o cuidado que o Governo deve ter para não gerar grandes desigualdades entre os servidores. “Como bem colocado nessa reunião alguns avanços aconteceram, como para os professores, para os profissionais de segurança pública e para os servidores do Detran, no entanto nós estamos aqui para falar em nome de todos os servidores públicos estaduais e não propor avanços para alguns e para outros, o retrocesso. É preciso atender todos aqueles responsáveis pelas políticas públicas criadas, pensadas e financiadas pelo Governo”, destacou.

Vale-transporte

O Mova-se aproveitou o momento para questionar o atraso no repasse dos vales-transportes dos funcionários da Saúde, uma vez que este deveria estar liberado desde o primeiro dia útil desse mês. Os trabalhadores lotados em hospitais e postos de saúde de Fortaleza estão sendo obrigados a faltarem ao trabalho por falta do benefício. O secretário da Seplag afirmou não ter conhecimento do fato e anotou a demanda.

Issec

Ainda na reunião, o diretor João Pinto enfatizou que a situação do país é difícil, mas a situação do servidor público é muito pior. “Precisa-se ter cautela, principalmente no que diz respeito a coparticipação do servidor no financiamento de um plano de saúde. O servidor precisa ser visto como pessoa e não como um número”, frisou.


A Diretoria Executiva do Mova-se se reúne nesta segunda-feira (25) para deliberar quais medidas serão tomadas junto à base quanto ao posicionamento do Governo do Estado.


Serviço:

Assessoria de Imprensa

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará – Mova-se

Contato: (85) 3226.0665/99619.8745

Facebook: facebook.com/SindicatoMovaSe

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome