Congresso Extraordinário da CUT começa na próxima segunda (28)

457


No mesmo dia que completa 34 anos, na próxima segunda (28), a CUT começa a discutir nacionalmente e internacionalmente os rumos da maior central sindical da América Latina.


Em São Paulo, uma delegação internacional de quase 100 pessoas de todas as regiões do mundo, mais de 720 delegados e delegadas de todo país e movimentos sociais do campo e da cidade, da Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, participarão da abertura da “15º Plenária/Congresso Extraordinário e Exclusivo: 100 anos depois…A luta continua! Nenhum Direito a Menos” da CUT, que vai até quinta (31)”.


É uma Plenária Estatutária que fundiu com um Congresso Extraordinário devido à gravidade do momento em que o nosso país vive e relembra no nome da atividade, os 100 anos da primeira Greve Geral do país e a luta continua.


“Muita coisa mudou desde o 12º Congresso da CUT, que aconteceu em 2015. A presidenta Dilma Rousseff estava no começo de sua segunda gestão em que o cenário era outro. Agora temos um presidente que não foi eleito para executar este projeto que tira direito do povo todos os dias”, enfatizou a Secretária-Geral Adjunta, Maria Faria.


“Precisamos atualizar coletivamente a análise de conjuntura, as estratégias e o plano de lutas para enfrentarmos e lutarmos com unidade contra os retrocessos para a classe trabalhadora, em defesa da democracia e por um país mais justo”, completou a dirigente.


A 15º Plenária/Congresso da CUT aconteceu em todas as regiões do país, trazendo sugestões e proposições de trabalhadores e de trabalhadoras de cada canto deste país para contribuir com as resoluções da Nacional para o próximo período.


A programação já está sendo divulgada e, praticamente, três temas nortearão os debates na Plenária/Congresso para subsidiar o atual plano de lutas. “A captura das democracias pelo capital”, Conjuntura internacional e nacional e “Financeirização, Automoção e o Futuro do Trabalho”.


“Será uma Plenária/Congresso que também visa conscientizar o trabalhador e a trabalhadora que estamos numa luta de classe. A ideia desta atividade nacional é ajudar a esclarecer que tem uma estratégia acontecendo no país [a elite quer tirar direitos para lucrar mais] e temos que ter a nossa, além de resistir”, afirmou Maria.


“Também teremos um grande desafio para 2018. Temos que debater qual será o projeto que vai defender ou não a classe trabalhadora e a democracia no país. Nós como atores sociais, que somos, temos que discutir, sim, que país é este e que estado é esse que nós defendemos”, finalizou.


No dia 28, a abertura oficial do 15º Plenária/Congresso, que marcará os 34 anos da CUT, acontece a partir das 20h.


Fonte: CUT Brasil


Link: http://bit.ly/2wAZP6U


 


 


 


Serviço:
Assessoria de Imprensa
Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará – Mova-se
Contato: (85) 3226.0665/99902.0458
Facebook: facebook.com/SindicatoMovaSe


 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome