O trabalho, a luta e a urna

248

Quando governos lançam mão de artifícios inúmeros para convocar seu povo a uma eleição, não o fazem à toa. No caso brasileiro, a menos de um mês da votação que permite (re)direcionar os rumos políticos do País, são utilizadas as mais diversas ferramentas oferecidas pela internet e outros meios de comunicação para invitar: “vem pra urna”. Na disputa entre capital e trabalho, aparecem a classe trabalhadora como peça fundamental e o movimento sindical como alicerce dessa relação. Para quem almeja legislar ou executar as leis no Brasil nos próximos anos é, portanto, imprescindível que a pauta social seja esmiuçada e receba a devida atenção.


Em nosso Estado, as eleições 2014 coincidem com um momento de fortalecimento, quando a CUT-CE celebra seus 31 anos de existência, completados no último dia 28 de agosto. No Brasil, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) defende os anseios de mais de 23 milhões de pessoas – um milhão delas, só no Ceará. Com cerca de 300 sindicatos filiados, a entidade cumpre seu papel histórico de organizar trabalhadores e trabalhadoras em pautas unificadas e orgulha-se em poder mostrar à sociedade o quão importante e atuante permanece o sindicalismo.


Referenciada mundialmente como umas das maiores entidades representativas da classe trabalhadora, a CUT celebra as diversas conquistas nas mais diversas categorias. Ao mesmo tempo, reconhece os profundos desafios ainda existentes. Nossas bandeiras continuaram sendo erguidas com reivindicações necessárias e justas.


Diversos cargos dos poderes Legislativo e Executivo estão sob árdua disputa, em eleições majoritárias e proporcionais. Com o respaldo e a força que nos conferem essas mais de três décadas de vida, nosso movimento organizado no Ceará reforça o pedido mais urgente: que os candidatos e candidatas assumam o compromisso de diálogo permanente com a classe trabalhadora.


Joana Almeida


joana@cutceara.org.br

Presidente da CUT-CE

Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome