Parada pela Diversidade Sexual do Ceará 2023 ocorre no próximo dia 25 de junho

239

A XXII Parada da Diversidade Sexual tem como tema “VRAAAAAAHH! Todes nas lutas por políticas públicas: por quem se foi, por quem está e por quem virá”.

Com o tema “VRAAAAAAHH! Todes nas lutas por políticas públicas: por quem se foi, por quem está e por quem virá”, a 22ª edição da Parada pela Diversidade Sexual do Ceará ocorre no próximo dia 25 de junho, na avenida Beira Mar, em Fortaleza.  Organizada pelo Grupo de Resistência Asa Branca (GRAB) juntamente com o movimento LGBTQIA + do estado, a parada é realizada anualmente desde 1999, em alusão ao mês do Orgulho LGBTQIA+. A temática construída junto aos movimentos sociais, se soma também a Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, realizada no último dia 11/06.

Marcada como um espaço de mobilização e resistência, a parada ganha destaque como um dos eventos mais importantes e influentes da comunidade LGBTQIA+ da região Nordeste. De acordo como o secretário de políticas públicas da CUT Ceará, Roberto Luque, “nos últimos anos a população LGBTQIA+ tem sido por demais atacada fisicamente e moralmente com todos os tipos de preconceitos. Por isso, a parada reflete a luta e é um grito de alerta de toda a comunidade por mais direitos e visibilidade”, finaliza Roberto ao também reforçar a atuação da Central Única dos Trabalhadores do Ceará e do movimento sindical em apoio a luta da comunidade LGBTQIA+. Em maio deste ano, a Central instalou o primeiro Coletivo Estadual LGBTQIA+.

Mês do Orgulho LGBTQIA+

Marcado por diversas manifestações ao redor do mundo em comemoração e solidariedade à população LGBTQIA+, a escolha do mês de junho para a realização da parada está diretamente ligada ao fato deste ser o mês do Orgulho LGBTQIA+. Segundo Rafael Mesquita, presidente do Sindicato dos Jornalista do Estado do Ceará (Sindjorce) e membro do Coletivo Estadual LGBTQIA+ da CUT-CE, “a data tem suas raízes na Revolta de Stonewall, que ocorreu nos Estados Unidos em junho de 1969, marcando o início de uma série de protestos pela igualdade de direitos e contra a discriminação enfrentada por pessoas LGBTQIA+”, cita o dirigente sindical, ao destacar a importância da parada quanto momento de reflexão e de luta histórica pelo direito de amar e da livre manifestação da identidade de gênero. “O direito à existência dos corpos LGBTQIA+, a resistência e a visibilidade, a gente deseja que se projete ao longo do ano, e não apenas durante a parada, com o combate ao preconceito, a promoção de políticas públicas e a regulamentação de projetos e leis que garantam igualdade de tratamento e oportunidades para pessoas independente da orientação sexual ou da identidade de gênero”, finaliza Rafael ao destacar a necessidade da organização da classe trabalhadora para lutar por direitos sociais igualitários para todos, todas e todes.

De acordo com a pesquisa divulgada em 2022, pelo Linkedin, quatro em cada dez pessoas LGBTQIA+ relatam ter sofrido discriminação no ambiente de trabalho. Os números mostram um aumento de 5% em relação a primeira pesquisa divulgada em 2019, que apontava que 35% já haviam sofrido algum tipo de discriminação. Além disso, apesar das conquistas, o desemprego na comunidade, segundo estimativa da Aliança Nacional LGBTQIA+, chegou a marca de 40% durante a pandemia de Covid-19. A secretária da Cidadania e Diversidade do estado do Ceará, Mitchelle Meira, pontua que “a 22º Parada da Diversidade não pauta somente a comemoração da existência do LGBT enquanto sujeito, mas também é um espaço de reivindicação por mais oportunidade e inclusão no trabalho, por melhoria na qualidade de vida e contra todo tipo violência”. A gestora também destaca a importância de se construir uma sociedade menos preconceituosa, diversa, e que proporcione a vivência de uma cidadania plena para todos.

Programação da XXII edição da Parada

A parada contará com uma extensa programação cultural, que inclui a tradicional passeata pela Beira Mar de Fortaleza, com trios elétricos e performances artísticas, com realização de discursos e apresentações de personalidades, artistas locais e nacionais. Também serão promovidas atividades culturais, como exposições, debates e apresentações de grupos de dança e música, proporcionando um ambiente diversificado e inclusivo para todos os participantes. Para mais informações sobre a XXII Parada pela Diversidade Sexual do Ceará, acompanhe as redes sociais do Grupo de Resistência Asa Branca (https://www.instagram.com/grabasabranca/) e do movimento LGBTQIA+ do estado.

Sobre o Grab

Fundado em 1998, sendo uma das organizações LGBTQIA+ em funcionamento mais antigas do Brasil, o Grupo de Resistência Asa Branca (GRAB) é uma organização que luta pelos direitos e pela inclusão da comunidade LGBTQIA+ no estado do Ceará. O Grab desenvolve ações de visibilidade, apoio e conscientização, buscando promover a igualdade e a justiça social para todas as pessoas, independentemente de sua orientação sexual e identidade de gênero.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome