NOTA DE REPÚDIO AO PROCESSO DA SELEÇÃO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO

228

Nós, do grupo Amigos Professores Temporários do Ceará, vimos por meio deste repudiar veementemente o atual processo de seleção pública de professores para atender as necessidades temporárias das escolas da rede pública estadual de ensino do Ceará. Os professores candidatos estão sendo submetidos a situações humilhantes!

No dia 31 de agosto de 2021 o Movimento Amigos Professores Temporários realizou um ato na SEDUC/CE, onde representantes da Secretaria de Educação informaram que até 30 de outubro daquele ano o banco de professores temporários do estado seria formado a partir de uma seleção com prova objetiva presencial e análise de títulos. No entanto, em outubro foi realizada a seleção por artigo 4 (Lei complementar n°22, de 24 de julho de 2000).

A seleção seria realizada pelas escolas com carências de professores, sendo realizada mediante prova de títulos e apresentação de aula/do plano de aula. De acordo com a SEDUC, seria uma seleção em caráter emergencial para que o ano letivo fosse finalizado sem prejuízos aos estudantes. Na verdade, o modelo imposto foi piloto para a seleção de 2022.

Ao delegar para a unidade escolar a função de selecionar os professores temporários, vícios na condução do certame estão se acumulando, trazendo constrangimentos e situações humilhantes a quem se submete ao processo seletivo, como:

1. Os professores estão sendo obrigados a “peregrinar” pelas escolas que estão com carências a fim de fazer inscrição e acompanhar todas as etapas da seleção. Isso em um momento de pandemia, onde dois vírus (COVID-19 e H3N2) estão circulando no país e deixando rastro de doenças e mortes;
2. As escolas não foram devidamente orientadas pela SEDUC quanto ao processo seletivo, trazendo divergências quanto aos trâmites do processo entre as escolas;
3. Período de inscrição na seleção e período de apresentação do plano de aula estão em conflito entre as escolas, o que prejudica o professor que tenha interesse em se candidatar em mais de uma escola para conseguir a carga horária desejada;
4. A maioria das escolas está realizando todo o processo seletivo de forma presencial, mesmo durante uma pandemia que já ceifou mais de 600 mil pessoas no país;

É preciso lembrar que, no ano de 2021 foi aprovado na Assembleia Legislativa a inclusão de novos instrumentos de avaliação para as seleções futuras de professores temporários da SEDUC, onde seria permitido realizar seleção de forma remota, por exemplo.

5. Os professores estão tendo gastos exorbitantes e desnecessários com documentos de inscrição, bem como com deslocamentos para as diversas escolas onde há carências. Muitas escolas estão realizando todas as etapas do certame de forma EXCLUSIVAMENTE presencial;
6. Há relatos de professores que estão sendo mal recebidos pela equipe gestora das escolas, que se mostram resistentes em receber a inscrição do candidato ou procuram desmotivá-lo por vários motivos;
7. O modelo de seleção pode favorecer os professores que já são conhecidos pela equipe gestora e docente das escolas, o que claramente pode comprometer a lisura do processo e prejudicar candidatos.

Diante das alegações acima, reivindicamos:
1. Seleção unificada para a rede estadual de ensino;
2. Inscrição e envio dos documentos por meio virtual enquanto durar o período de pandemia;
3. Prova objetiva e prova de títulos, igual como ocorreu com a seleção de 2016;
4. Divulgação das carências e inscrição para concorrer a vaga via banco de professores conforme ocorreu na seleção de 2016;

Exigimos respeito e empatia dos colegas professores que estão nos cargos da SEDUC, nas CREDES, nas SEFOR e nos núcleos gestores das escolas. Somos TODOS professores e exercemos, portanto, a mesma profissão!

Além disso, é necessário apontar que, mais uma vez, a APEOC se mostra indiferente a causa dos professores temporários do estado. Como não é de seu interesse, não cobrou reunião com a SEDUC para negociar um modelo de seleção que fosse mais justo e menos humilhante.

Como a rede estadual não funciona sem os professores temporários, e isso é fato, temos um sindicato que, ao não lutar pelos professores temporários, acaba menosprezando a educação do nosso estado. Um infeliz paradoxo.

Convidamos todos os professores temporários para somar forças, pois além das humilhações sofridas nesta seleção precisamos lutar pela paridade salarial porque houve um retrocesso na última tabela salarial dos professores temporários da rede estadual.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome