MOVA-SE se reúne com diretor do Hospital Mental de Messejana para discutir demandas urgentes dos servidores

90

A diretora da Diretora de Saúde do Trabalhador do Sindicato MOVA-SE, Mary Anne de Lima e o advogado do sindicato, Dr. Rafael Marques, reuniram-se  com o diretor, Dr. Davi Queiroz, do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto – HSM, no dia 17 de abril, para discutir três pautas urgentes que impactam diretamente a vida, o trabalho e a saúde dos servidores públicos do Hospital, entre eles foram destacadas: a excessiva carga de trabalho dos servidores públicos, problemas de infraestrutura e o Equipamento de Proteção Individual (EPI) vestimenta.

A reunião iniciou com a explanação da diretora do MOVA-SE, sobre a excessiva carga horária de trabalho dos servidores públicos, em especial os plantonistas, devido ao “gargalo” dos prestadores de serviços e cooperados. O MOVA-SE cobrou da gestão do hospital um compromisso com a redistribuição da carga horária de trabalho nas escalas, visando garantir melhores condições de trabalho e evitar o esgotamento físico e mental dos profissionais. A diretoria do Hospital se comprometeu a realizar essa redistribuição o mais breve possível. O MOVA-SE reforça que está atento e continuará acompanhando essa demanda para verificar se a gestão cumprirá com o compromisso acordado.

Sobre os problemas de infraestrutura, a segunda pauta abordada enfatizou os problemas crônicos de infraestrutura física do hospital, como a falta de banheiros exclusivos para servidores, pacientes, usuários e público em geral, que usam o mesmo banheiro entre eles, o que pode vir a colocar em risco tanto o público em geral como os servidores, além dos pacientes.  O diretor do hospital informou que já existe uma solicitação para a Secretaria de Obras Públicas (SOP) para a resolução do problema. O MOVA-SE ficará atento e acompanhará de perto a situação até que a demanda seja resolvida.

Outro problema grave discutido foi a falta do uniforme que faz parte dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI): A diretora Mary Anne de Lima destacou a preocupação do MOVA-SE com a falta generalizada de EPI vestimenta, em diversas unidades hospitalares vinculadas a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará – SESA, incluindo Hospital de Saúde Mental. Essa situação coloca em risco a saúde dos trabalhadores(as) e compromete o cumprimento das normas de segurança do trabalho (NR32). O MOVA-SE cobrou da gestão do hospital medidas urgentes para solucionar a falta de vestimenta, em especial para o Hospital de Saúde Mental (Professor Frota Pinto (HSM)), onde a situação é considerada a mais grave, uma vez que esta unidade não adota o uniforme como equipamento de proteção individual em seus protocolos de segurança do trabalho, onde servidores e colaboradores trabalham à paisano, sem o EPI uniforme.

Outro assunto preocupante está ligado ao Equipamento de Proteção Individual (EPI) em relação à vestimenta. A ausência do uniforme, que é parte integrante dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), tem se tornado cada vez mais comum nas unidade de saúde. A vestimenta é um elemento vital e obrigatório do Equipamento de Proteção Individual (EPI), portanto, solicitamos uma solução imediata.

Reforçamos que a vestimenta adequada é crucial para garantir a segurança dos profissionais de saúde e dos pacientes. A falta do uniforme pode expor grande riscos, comprometendo a qualidade do atendimento e a saúde de todos os envolvidos. É fundamental que haja um esforço por parte da Gestão Pública, para garantir a disponibilidade e a correta utilização dos EPIs, incluindo a vestimenta apropriada. A diretora Mary Anne solicitou com urgência que a vestimenta, seja devidamente distribuída entre os trabalhadores (as).

A diretoria do hospital firmou compromisso em instaurar processo licitatório em regime de urgência para sanar essa grave falha para com os direitos de proteção básica do servidor vinculados à saúde do trabalhador. O MOVA-SE acompanhará de perto esta demanda e continuará exercendo seu papel essencial de trazer melhores condições de trabalho para os servidores do Estado do Ceará.

O MOVA-SE reitera seu compromisso em defender os direitos dos servidores públicos e lutar por melhores condições de trabalho e atendimento à saúde da população. A entidade seguirá vigilante e cobrando das autoridades as medidas necessárias para garantir a segurança e o bem-estar de todos os envolvidos.

Você servidor(a) público(a) que sentir qualquer tipo de violação dos seus direitos, procure o sindicato e use os canais de denúncia (ouvidoria 155) para pleitear melhorias. O MOVA-SE coloca-se à disposição de todas as formas, redes sociais (@sindicato_movase ou por e-mail: denuncia@mova-se.com.br, por telefone (85) 3023-3572 /
(85) 992917152 (WhatsApp) e atendimento presencial na sede do sindicato.

ONDE TEM LUTA, TEM MOVA-SE!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome