Mova-se participa de ato para denunciar as violações dos direitos sociais e os altos preços da luz

42

Após dois anos de isolamento social, sem jornadas presenciais, atingidos por barragens saíram às ruas e realizaram atos, ocupações, plenárias e marchas para denunciar as violações de seus direitos e lutar contra as tentativas de privatizações do setor energético.

A programação da jornada de lutas deu início ontem, dia 14 de março, que incluiu ocupações em todo o Brasil, em sedes de órgãos públicos, assembleias e marchas simbólicas no qual os atingidos reivindicam a reparação de seus direitos e denunciam os impactos causados pelas barragens de mineradoras e hidrelétricas, que impõem risco à vida de moradores do entorno, além de causar a desestruturação de comunidades, perdas econômicas e impactos sociais e ambientais, como no caso dos crimes de Mariana (2015) e Brumadinho (2019) e de dezenas de barragens que são consideradas em situação emergência no Brasil.

Em Fortaleza os Atingidos por Barragens (MAB) realizaram ato na manhã desta terça-feira,15/03, e contou com a participação e o apoio do Mova-se,  representado pelo diretor Hernesto Luz, sindicatos, movimentos sociais e  famílias atingidas, protestaram contra os altos preços da luz e denunciam os aumentos abusivos cobrados pela Enel.

Conforme depoimento do MAB, “os atingidos apontam ainda a farsa da crise hídrica como uma forma de cobrar mais caro a luz do povo brasileiro, além das inúmeras e abusivas bandeiras tarifárias.” Na ocasião, ainda em protesto na sede da Enel, houve a reivindicação do acesso automático das famílias de baixa renda à tarifa social.

Outra pauta discutida  nacionalmente durante a jornada deste ano é a defesa da Política Nacional de Direitos das Populações Atingidas por Barragens – PNAB (Projeto de Lei 2788/19), que visa garantir o direito dos atingidos pela construção, operação, desativação ou rompimento de barragens no país.

Reforçamos que o “Dia Internacional de Luta contra as Barragens, pelos Rios e pela Vida”, atingidos do Brasil e de diversos países do mundo se mobilizaram em diferentes atos. As manifestações integram a jornada de lutas de março que acontecem desde o dia 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, e seguem até o dia 22 de março, Dia Mundial da Água.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome