Camilo Santana nega reajuste e servidores paralisam

496

Nos dias 23 e 24 de junho, os servidores paralisaram em repúdio a esse massacre salarial anunciado pelo governador Camilo Santana, no último dia 06 de junho de 2016, no Palácio da Abolição. O grito foi um só: 12,67% de reajuste salarial e o cumprimento da data-base – 1º de janeiro.


O Governo do Estado, mesmo eleito em nome do Partido dos Trabalhadores, mostra-se de uma insensibilidade ímpar ao negar o reajuste linear para os servidores públicos do estado, no pior cenário a se concretizar para ativos e principalmente para os aposentados que nunca foram tão esquecidos desde 1999, durante o governo tucano.


Entendemos esta posição como uma tentativa de enfraquecer e quebrar a unidade dos trabalhadores sob a alegativa de queda de arrecadação, mesmo sendo positiva a do estado todos os anos. A queda brusca nos repasses do Fundo de Participação dos Estados – FPE e o limite prudencial previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal são frágeis e inaceitáveis, uma vez que, negociando isoladamente por categoria também estaria cometendo os mesmos erros.


E essa proposta de dividir para governar vai apenas oferecer direitos já adquiridos como promoções, crescimento na carreira, gratificações por titulação e acordos realizados em gestões anteriores e não cumpridos. Essa atitude é uma forma de fragmentar a unidade do movimento em defesa dos direitos dos servidores, e não pode ser considerada como reposição salarial.

STDS

Os diretores Ulisses Moreira e Socorro Mota uniram-se aos servidores da Secretaria Trabalho e Desenvolvimento Social – STDS contra o reajuste zero imposto pelo Governo. A luta ficou mais forte com a presença da Associação dos Servidores da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social – ASSTDS.


Ematerce


A mobilização na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará – Ematerce foi marcada pela “comemoração” aos 10 anos de engavetamento do Plano de Empregos, Cargos e Salários – PECS dos servidores, como também em repúdio ao reajuste zero. Os diretores Evaldo Ribeiro e Socorro Mota estiveram presentes.

Palácio da Abolição

O Sindicato Mova-se uniu forças com o Sindicato APEOC e a CUT-CE para reivindicar contra o governador Camilo Santana pelo seu desrespeito com os servidores públicos. Um Governo que ataca brutalmente o direito de seus funcionários não merece o nosso respeito. O ato contou com a participação do coordenador-geral Flavio Remo e dos diretores Socorro Mota, Cartaxo Arruda Júnior e Nagibe Nunes de Melo.

 


Serviço:

Assessoria de Imprensa

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará – Mova-se

Contato: (85) 3226.0665/99902.0458

Facebook:facebook.com/SindicatoMovaSe

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome