Militares fazem nova tentativa de negociar, mas governador prefere a intransigência

464

A convite da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), os presidentes da associações representantes de Policiais e Bombeiros Militares do Ceará (ASPRAMECE), P.Queiroz, da APROSPEC, Wagner Souza, e da ACSMCE, Flávio Sabino, participaram no sábado, 31/12, de uma reunião na PGJ com a procuradora Socorro França, o Comandante Geral da Policia Militar, a coordenadora do FUASPEC (Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará), Jerusa Matos, e representantes do Estado.

Apesar do esforço da procuradora geral de providencia um possível termo de ajustamento de conduta –TAC, não houve acordo, pois o Estado agiu com a mesma intransigência dos últimos cinco anos quando se trata de incluir as reivindicações dos militares na pauta de reivindicação.

“O autoritarismo do estado não permitiu avanço em uma possível negociação, sabíamos que não seria fácil, mas a situação chegou ao limite. Há cinco anos estamos tentando negociar e o governador nem nos recebe”, destaca P.Queiroz, que preside a Associação Nacional de Praças – ANASPRA e a Associação de Praças da Policia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (ASPRAMECE).

Os militares estaduais são a única categoria de servidores a receber vale alimentação de R$ 6,05. Todos os demais recebem em pecúnia R$10,00.

REIVINDICAÇÕES:

 Anistia dos participantes;

 Campanha salarial com parcelamento até 2014;

 Melhoria no atendimento a saúde pelo ISSEC;

 Alimentação em pecúnia equiparada aos demais servidores.

Com informações da assessoria de comunicação da ASPRAMECE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome