Em meio a novas ameaças de Israel, movimentos convocam ato pró-Palestina no sábado

52

Em São Paulo, manifestação será às 14h, com concentração em frente ao Masp, na Avenida Paulista

No próximo sábado (24), a CUT e demais movimentos populares estarão novamente nas ruas cobrando pelo imediato cessar-fogo na Faixa de Gaza. Em São Paulo, a manifestação terá concentração em frente ao Masp, na Avenida Paulista, às 14h.

A convocação do ato ocorre diante das novas ameaças do governo de Israel de atacar Rafah, única cidade da região que ainda não foi invadida por tropas terrestres e que tem servido de refúgio à população – cerca de 1,5 milhão de pessoas estão no local.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ameaça iniciar os ataques até o dia 10 de março, caso são sejam soltos os reféns capturados pelo Hamas. A data coincide com o período do Ramadã, que no calendário islâmico é marcada por muitas orações e jejum diário.

Nesta semana, também, o governo do presidente Lula subiu o tom contra o governo israelense, cobrando o fim do conflito que já tirou a vida de mais de 30 mil pessoas, sendo a maioria de mulheres e crianças. Lula classificou a situação em Gaza como “genocídio”, comparando ao Holocausto, e criticou a redução da ajuda humanitária na região.

A fala de Lula teve rápida repercussão entre o grupo de Netanyahu, que está cada vez mais isolado internacionalmente. Desde então, o governo de Israel tem agido de forma inaceitável, mentirosa e antidiplomática ao convocar o embaixador brasileiro em local desapropriado, ao considerar Lula “persona non grata” e fazer uma série de postagens em rede social distorcendo o posicionamento do Brasil.

Desde o início do conflito, a CUT tem registrado presença nas manifestações em defesa do povo palestino e contra as violações aos direitos humanos cometidas pelo Estado de Israel. Por meio de nota, a entidade expressou solidariedade ao presidente Lula e reforça o mote #LulaTemRazão.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome