Sindicato Mova-se apoia ato dos servidores na Assembleia Legislativa

373

O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará – Mova-se esteve na terça-feira (18), na Assembleia Legislativa – AL, para participar do ato dos servidores estaduais. A mobilização que foi encabeçada pela coordenação do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec) luta pela reabertura das negociações com o Governo.


Segundo o secretário-geral do Mova-se e coordenador de Secretaria do Fuaspec, Ulisses Moreira, a sociedade precisa acordar para a atual situação do serviço público. “Os hospitais estão massacrados com a terceirização e grande parte da mão de obra não consegue se quer ganhar o salário mínimo. Um verdadeiro descaso com o serviço público”, declarou Ulisses.


De acordo com informações da coordenação do Fuaspec, os servidores não são recebidos pelo Governo do Estado há mais de três anos e querem uma reunião com o governador, como também o cumprimento do Decreto nº 28.904, de 04 de outubro de 2007, que dispõe de reunião mensal com o Governo e não bimestral imposto pelo secretário de Planejamento Eduardo Diogo.


Foi socializado pela diretoria do Sindicato Mova-se, que ocorrerão vários atos em defesa dos trabalhadores, onde houve o chamamento à luta, dentre eles o que ocorrerá no dia 1º de abril em repúdio ao Golpe Militar que completa 50 anos e outro que será a caminhada da insatisfação a ser realizada no dia 14 de abril, envolvendo toda a classe trabalhadora e sociedade.


Acordo

Os servidores foram recebidos em comissão formada pelos deputados Tin Gomes – PHS (primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa), José Sarto – PROS (líder do governo) e Eliane Novais – PSB. Durante a reunião, os deputados afirmaram que irão entrar em contato com o secretário de Planejamento Eduardo Diogo para agendar ainda este mês o retorno das reuniões mensais da Mesa de Negociação Permanente – MENP e posteriormente uma reunião com o governador Cid Gomes.

Os servidores informaram que irão aguardar até o dia 15 de abril. Caso não obtenham retorno dos parlamentares, os trabalhadores irão manifestar na frente do Palácio da Abolição.


Participaram do ato: o diretor de Formação Política e Sindical do Mova-se Martinho Olavo, o diretor Administrativo do Mova-se José Evaldo, o diretor de Comunicação do Mova-se Luis Edgard Cartaxo, além de diversas categorias.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome