Servidores estaduais fecham entrada do Porto do Pecém para reivindicar encontro com Elmano

256

Os manifestantes denunciam cortes de salários e direitos e reivindicam uma reunião de emergência com o governador do Estado, Elmano de Freitas (PT)

Servidores estaduais do Ceará estão realizando uma manifestação no Porto do Pecém nesta segunda, 30, para denunciar cortes de salários e reivindicar uma reunião de emergência com o governador do Estado, Elmano de Freitas (PT), com os sindicatos.

Os manifestantes fecharam uma das entradas do porto, desde as 6 horas da manhã, para tentar iniciar um diálogo com o governador sobre negociações trabalhistas e melhores condições de trabalho dos profissionais que atuam no local. Eles se queixam que já faz 10 meses de gestão e o gestor ainda não os recebeu.

Participam do ato sindicatos como o Mova-se, que representa os servidores estaduais, o Seeaconce, que representa os terceirizados de asseio e conservação, de limpeza pública, além de instituições como o Fórum dos Trabalhadores do Complexo do Porto do Pecém e outros movimentos sociais.

Eles denunciam que o governador ainda não recebeu os representantes desses trabalhadores para diálogo e negociação contra a diminuição de salários e de direitos, ressalta Penha Mesquita, presidente do Seeaconce.

“Estamos nas ruas, no Porto do Pecém, reivindicando que o governo olhe mais pra classe trabalhadora, receba as entidade sindicais, pra dialogar e entender as necessidades dos trabalhadores. Infelizmente não está sendo dada essa tratativa. Os trabalhadores estão perdendo poder de compra, tendo salários diminuídos”, destaca Penha Mesquita.

“Fazemos esse ato público hoje, no Porto do Pecém, pra que o governador nos receba o quanto antes. Não só traga uma empresa de fora, pra sugar o suor dos trabalhadores, a energia do nosso Estado, e depois ir embora, deixando os trabalhadores mais pobres e ficando sem pagamento dos direitos”, acrescenta.

Além disso, durante a manifestação, alguns dirigentes sindicais fizeram referência a matéria exibida em rede nacional de televisão neste domingo, destacando o Ceará como exemplo positivo quanto ao hidrogênio verde, a energia limpa, mas omitindo a difícil situação dos trabalhadores do Porto do Pecém.

“É muito importante a união de todos os sindicatos e do Futicipp, neste momento de luta por reposição salarial e da fixação de cláusulas benéficas a todos os trabalhadores. Hoje temos um impasse na Companhia dos Portos, porque o presidente quer revogar diversos artigos sobre direitos dos trabalhadores. E não quer dialogar”, afirma Antônio de Pádua, coordenador geral do Mova-se.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome