Governo do Ceará orienta cuidados com produção e comercialização de alimentos

222

Em meio ao isolamento social necessário para combater pandemia do novo coronavírus, os agricultores familiares são uma das atividades que contribuem diariamente com a superação do atual momento. A atividade econômica não parou de funcionar e é essencial por garantir o alimento na mesa dos cearenses. Em média, somente o entreposto da Ceasa, em Maracanaú, recebe diariamente 1.695 toneladas de alimentos. Em média, 39,8% correspondem aos produtos da agricultura familiar.

No campo, os mesmos cuidados da capital com a higiene também valem na hora de colher e de comercializar. A Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) recomenda, por exemplo, que agricultores que mantenham entre si uma distância mínima de 1,5 metros e limpem bem frutas e verduras antes de entregá-los na porta de casa. Em caso de sintomas de uma simples gripe, ou resfriado, é importante que o trabalhador passe a priorizar o cuidado com a própria saúde.

Estudos científicos apontam que o coronavírus não ataca diretamente hortifrutigranjeiros, embora a doença possa ser transmitida também pelo alimento. Lavar frutas, verduras e hortaliças com água e sabão é um hábito que todos precisamos manter diariamente e, neste momento, em especial, o hábito precisa ser tornar uma rotina obrigatória para quem planta, para quem transporta e para quem comercializa o alimento.

Abastecimento humano

Os três entrepostos da Ceasa, por exemplo, passam semanalmente por higienização de seus galpões e das vias públicas como uma das medidas de combate ao coronavírus. Estão sendo utilizados um caminhão pipa equipado com bombas e esguichos que espalham uma mistura de água e cloro. A dosagem utilizada de hipoclorito de sódio é de 4 mg/ litro, o que ajuda no processo de limpeza e desinfecção e não causa reações em contato com a pele mesmo em pessoas alérgicas ao produto.

“Os produtos que abastecem o mercado atacadista estão chegando normalmente e as vendas têm se intensificado nos últimos dias, garantindo, assim, o abastecimento do comércio cearense e que não falte alimento na mesa dos cearenses”, destaca Maximiliano Quintino, presidente da Ceasa-CE. Segundo garante, também foram disponibilizados produtos de higiene e foi proibida a entrada de menores de 14 anos e ambulantes não cadastrados.

Políticas sociais

Além do funcionamento da Ceasa, o Governo do Ceará mantém em dia a execução de políticas públicas que garantem o escoamento da produção agrícola. No caso do Programa de Aquisição do Leite, 528 produtores de leite bovino e caprino fornecem diariamente o produto que é recolhido nas próprias comunidades rurais. Em diálogo com os municípios, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário garante a transferência dos recursos federais para os produtores e, atualmente, a população mais carente de cinco municípios já recebe na porta de casa o leite.

Já em relação ao Programa de Aquisição de Alimentos, a política social está em fase de cadastramento dos fornecedores e entidades sociais que recebem os produtos da agricultura familiar. O plano é concluir o cadastramento o mais rápido possível e, entre abril e maio, o distribuir, em parceria com as prefeituras, os alimentos para alunos de escolas públicas e para rede de assistência social no interior do Ceará. A linha de ação deve adquirir produtos de pelo menos 1.100 agricultores familiares em 105 municípios e dispõe de R$ 2 milhões para investir neste ano.

Contato humano

Outro cuidado que o homem e a mulher do campo precisa estar atentos é quanto as rotinas nas comunidades rurais. Nos mais distantes rincões, o hábito é sentar-se ao final da tarde na frente da casa e receber vizinhos próximos, ou mesmo aqueles mais distantes. Agora, o que todos cearenses pedem aos agricultores familiares é que fiquem em casa e não mantenham contato com pessoas que se deslocam de municípios com casos confirmados de coronavírus até o campo, ou que estejam com qualquer sintoma que indique uma simples gripe.

“Para todos nós, é fundamental que os trabalhadores e trabalhadoras rurais do Estado contribuam com a superação do quadro atual da pandemia do coronavírus. Assim como profissionais da saúde, policiais e guardas municipais, eles representam uma categoria que presta um serviço essencial e precisam se cuidar, ainda mais, para que todos os cearenses também possam contar com o trabalho deles”, conclui o secretário do Desenvolvimento Agrário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome