Ceará registra 40 mil acidentes de trabalho em três anos

401

O Ceará registrou 40 mil acidentes de trabalho nos últimos três anos, conforme o levantamento mais recente realizado pelo Ministério da Previdência Social, divulgado neste mês. Foram 13,8 mil acidentes do tipo no Estado somente em 2013, número que implica em uma média de 38 acidentados por dia.


De acordo com os dados da Previdência Social, 68 trabalhadores cearenses morreram no ambiente de trabalho em 2013 e 296 ficaram incapacitados permanentemente para exercer suas atividades. Na avaliação do juiz do trabalho Carlos Alberto Rebonatto, o Ceará ainda apresenta elevados números de acidente do trabalho. Entre 2012 e 2013, por exemplo, houve um aumento de 20% nos casos de acidente.


No ranking Norte e Nordeste de acidentes de trabalho, o Ceará aparece em terceiro lugar, atrás apenas de Pernambuco e Bahia. Nacionalmente, ocupa a 12º colocação. Hoje, no Estado, os setores que mais registram acidentes são saúde, construção civil e indústria de transformação, segundo Rebonatto.


“Além dos acidentes de trabalho existem também as doenças do trabalho, que são principalmente as lesões por esforço repetitivo (LER), lesões na coluna, surdez, doença de pele. E têm crescido muito nas estatísticas os casos de problemas mentais, como depressão, doenças do humor”, alertou. Já as mortes são mais atribuídas a quedas, choques e acidentes com máquinas.

Subnotificação


O juiz ressalta que os dados divulgados pela Previdência deveriam ser ainda maiores devido aos casos de subnotificação (quando o trabalhador tem carteira assinada mas o acidente não é notificado, “o que representa de 20% a 30% dos casos”, acrescenta o juiz do trabalho. “Além disso, a maioria dos trabalhadores são informais, e eles não estão nesses números”, adverte.


Fora do levantamento estão ainda os funcionários públicos e os trabalhadores rurais. Nesse caso, a subnotificação é de 90% a 95%. No meio rural, 80% não têm vínculo de emprego. E o que tem vínculo deve ser notificado pelo sindicato, mas este ainda não tem cultura de notificar, avalia o juiz. “Empresas que alcançam certos níveis de acidente de trabalho aumentam a alíquota do INSS. E o trabalhador também fica constrangido”, acrescenta o magistrado.


Saiba mais

Atos públicos


Para comemorar o Dia da Segurança e Saúde no Trabalho, na terça-feira, 28, o Tribunal Regional do Trabalho do Ceará e mais 40 instituições públicas e privadas, responsáveis pela promoção de políticas para redução do número de acidentes no Estado, vão realizar atos públicos, com material educativo e visitas a empresas e canteiros de obras. Sessões solenes na Assembleia e na Câmara vão lembrar a data.


No Brasil, foram registrados 718 mil acidentes de trabalho com 2.737 mortes. 14.837 trabalhadores ficaram incapacitados de forma permanente.


A construção civil ainda é um dos setores da economia responsáveis pelos maiores índices de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. 61.800 trabalhadores sofreram algum tipo de acidente nos canteiros de obras, durante o ano de 2013.


Fonte: O Povo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome