11º CONCUT refuta delegados eleitos em assembléia ilegal

417

O MOVA-SE recebeu, ontem, 8/5, ofício da Coordenação Nacional do 11° CONCUT comunicando que acatou pedido de indeferimento da assembléia realizada de forma ilegal pelo ex coordenador Airton Lucena e apoiadores para escolha de 12 delegados, em nome do MOVA-SE, para os congressos CECUT (regional), dias 10, 11 e 12/5, e CONCUT (nacional). Segundo o ofício enviado à CUT-CE com cópia para o MOVA-SE, os/as “delegado@s não poderão ser inscritos nos dois congressos”.

A “assembléia” realizada no último dia 20 de abril, na sede da CUT-CE, contrariou decisão da diretoria colegiada do MOVA-SE de não participar dos dois congressos por questões financeiras. De acordo com o diretor financeiro, Wilton Bezerra, o MOVA-SE passa por momento de contenção de gastos e austeridade por conta dos desmandos da gestão anterior, num esforço para por as contas em dias.

Ao mesmo tempo, a Coordenação Nacional reitera o reconhecimento do MOVA-SE como sindicato representativo dos/as trabalhadores/as no serviço público estadual do Ceará.

Para o diretor Wilton Bezerra, a CUT-CE e o grupo liderado pelo ex coordenador, Airton Lucena, infringiram o estatuto sindical, a legislação vigente e os princípios de autonomia sindical, por isso o MOVA-SE está analisando os procedimentos jurídicos a serem tomados.

Segundo o coordenador do MOVA-SE, João Batista Silva, o reconhecimento da ilegalidade pela CUT teve boa repercussão na Diretoria Executiva do sindicato que vem superando com garra todas as dificuldades que têm se apresentado sem desistir de lutar com honestidade e princípios éticos por dias melhores para os servidores e o movimento sindical.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome