Somos todas Margaridas!

22

O Sindicato MOVA-SE através de sua Secretaria da Mulher Trabalhadora
participou na manhã desta segunda-feira, 30/07, do Seminário da Mulher
Trabalhadora da CUT/CE, o evento é em parceria com Escola Nordeste que no
primeiro momento as participantes analisaram o feminicídio através dos e
aspectos relacionados à violência contra as mulheres, e conhecer os
instrumentos legais já concebidos no tratamento dessa questão: a Lei
13.104/2015.
A mesa redonda sobre o tema, “Feminicídio e o Enfrentamento a Violência
contra a Mulher” teve como debatedoras:
Darciane Barreto – Coordenadora da Casa da Mulher Brasileira
Greice Lopes – Coordenadora do CRM-Centro de Referência da Mulher;
Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Fortaleza
Dra. Rose Marques – Advogada e Integrante do Fórum Cearense de Mulheres
Izabel Dantas – Coordenadora Estadual de Políticas para as Mulheres
As debatedoras especificaram diferenciar os homicídios de mulheres do
conjunto de homicídios que ocorrem no país em especial na Capital de
Fortaleza; as discursões relataram uma breve síntese sobre a violência contra
a mulher como uma força social que estrutura as relações de poder entre os
gêneros e violência doméstica.
No debate trouxe à tona uma reflexão sobre as mortes violentas de mulheres
em razão de gênero, ou seja, que tenham sido motivadas por sua “condição”
de mulher.
O assassinato de mulheres em contextos marcados pela desigualdade de
gênero recebeu uma designação própria: feminicídio. No Brasil, é também um
crime hediondo desde 2015. Para a Dra. Rose Marques Nomear e definir o
problema é um passo importante, mas para coibir os assassinatos femininos é
fundamental conhecer suas característica e, assim, implementar ações efetivas
de prevenção.

Veja mais fotos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome