MOVA-SE repudia homenagem a Ministra Damares Alves

214

A Secretaria da Mulher Trabalhadora do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará (MOVA-SE) se posiciona contrário e repudia veementemente a proposta que tramita na Assembleia Legislativa para homenagear com o título de cidadã cearense a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo Bolsonaro, Damares Alves.
Somos CONTRÁRIOS aos ideais políticos, éticos e ideológicos da Ministra, pois a Sra. Damares Alves contradiz com os princípios da INCLUSÃO e IGUALDADE DE DIREITOS e Direitos Humanos quanto ao trato da sexualidade, das diferenças e PROTEÇÃO às mulheres, culturas no campo das relações étnico-raciais, principalmente Quilombolas e Indígenas, além dos posicionamentos e declarações desumanos dado ao movimento de mulheres, e ignorar realidade das mulheres em nosso país.
A honraria é a homenagem mais importante que um cidadão pode receber da Assembleia Legislativa do Ceará, concedida a personalidades e instituições nacionais ou estrangeiras que tenham PRESTADO SERVIÇOS RELEVANTES À SOCIEDADE, o que não corresponde com QUALQUER ato da Sra. Damares, portanto, deixamos também registrado o nosso repúdio a Casa Legislativa do Ceará ao apoio concedido a Damares sem o devido e prévio entendimento público.
Na oportunidade exigimos da Ministra uma postura ética e de respeito no tratamento com às mulheres, identidade de gênero e LGBTI, além dos movimentos de mulheres brasileiras por suas lutas em prol da equidade de gênero no Brasil e a todos os cidadãos e cidadãs que são excluídos nas políticas de assistências do seu governo.
É com tristeza e pesar que as mulheres brasileiras feministas, ou não, tenham à frente da execução de políticas públicas para as mulheres, uma mulher tão pouco preparada ao respeito ético que estas funções exigem.
A Secretaria da Mulher Trabalhadora do MOVA-SE faz frente à qualquer tipo de intolerância às mulheres, contra grupos específicos, como os LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais) e Damares continua com suas atitudes machistas, patriarcal e intolerantes, assim sendo, nos pronunciamos contrarias a referida homenagem.
Osmarinda Modesto, Secretária da Mulher Trabalhadora do MOVA-SE



Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome